segunda-feira, 30 de julho de 2007

ATMOSFERA(2)


Click na imagem para ampliar
O ozônio troposférico:

O ozônio encontra-se em boa parte da atmosfera, mas na baixa atmosfera,
especialmente nos grandes centros urbanos, formam-se domus (bolha) de poluição que por reações fotoquímicas gera o ozônio: o chamado "smog" fotoquímico. Atribui-se a ele um “gatilho” (INPE 2006) para entrada de infecções respiratórias mais graves que ocorrem em determinadas épocas do ano.

Nesta contribuição a mais importante fonte de poluentes atmosféricos é sem duvida a queima de combustíveis fósseis e de biomassa, liberando grandes quantidades de dióxido de enxofre (SO2), monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NO e NO2,conhecidos coletivamente como NOx), os materiais particulados em suspensão (MPS), os compostos orgânicos voláteis (VOCs) e alguns metais pesados e principalmente a maior fonte antropogênica de dióxido de carbono (CO2). O ozônio troposférico é produzido em reações químicas entre NOx e VOCs em dias quentes e ensolarados, principalmente em áreas urbanas e industriais e em regiões propensas a massas de ar estagnado.

“Essa produção de ozônio pode ter implicações extensas, uma vez que foi
descoberto que as moléculas de O3 viajam por grandes distâncias (até 800 km) a
partir das fontes de emissão” e produção. Assim, trata-se de um problema complexo que envolve reações químicas e dispersão atmosférica através dos mecanismos de circulação geral e secundária. (MOREIRA e TIRABASSI, 2004)
“Na formação do ozônio troposférico, um papel notável é então desenvolvido da
relação NO2/NO. O ozônio se forma na troposfera através da seguinte reação:
O + O2 +M →O3 (reação 1) onde M é uma molécula presente.

O oxigênio livre O se forma, na troposfera, da fotólise do NO2:
NO2 + h íNO + O (reação 2) com a seguinte reação, completa-se o chamado ciclo
do nitrogênio:

O3 + NO NO2 + O2 (reação 3)

O ciclo do nitrogênio vem a completar-se em poucos minutos, enquanto a
acumulação de ozônio acontece em algumas horas (grifo nosso). O ciclo do
nitrogênio é bastante veloz para manter uma concentração de equilíbrio de O3, que é função da relação NO2/NO A reação (3) converte NO em NO2, mas uma molécula de ozônio é destruída.
A reação (1) produz o oxigênio livre que contribui para a formação de uma molécula de ozônio, mas, ao mesmo tempo, NO2 é convertido em NO.São adequados para o estudo do ozônio e de outros poluentes fotoquímicos em uma escala temporal somente da ordem de um há alguns dias” (Ferreyra, 2006).

O ozônio estratosférico:

A formação do ozônio em altitudes elevadas dá-se quando um fóton de elevada
energia (ë <242nm,>

O2 + hv (λ<242>

Isto leva a um ciclo continuo de produção e degradação do ozônio.

Do ozônio total existente na atmosfera 85 a 90% estão acima da tropopausa (ver
figura 01) e abaixo da mesosfera, como também na troposfera em baixos níveis. A
quantidade de ozônio é expressa em Unidades Dobson4 (DU).
A coluna média de ozônio sobre a Terra varia entre 290 e 310 DU. Para se ter uma idéia da quantidade irrisória de ozônio, se ela fosse compactada à superfície terrestre à pressão e temperatura padrões a camada teria cerca de 3milimetros (equivalente a 300 DU),exatamente isso, embora aparentemente irrisório, este gás e extremamente fundamental para barramento da energia UV-B. Os CFCs Os CFCs compreendem uma vasta gama de produtos que são utilizados na refrigeração comercial e industrial, sistemas de ar condicionado fixo e móvel, fabricação de espumas, aerossóis de uso médico, outros aerossóis e dissolventes, 4 Um (1) DU é a medida em unidades de centésimos de milímetro, que a coluna de ozônio poderia ocupar, a temperatura e pressão padrão (273oKelvin e 1 atmosfera).

sistemas de proteção contra incêndio, entre outros usos. Em termos percentuais
estão divididos conforme a figura 02, segundo o relatório do IPCC sobre o ozônio.

Nenhum comentário: