segunda-feira, 30 de julho de 2007

ATMOSFERA(13)



Click na imagem para ampliar

IMPLICAÇÕES POLÍTICAS E ECONÔMICAS.
Os elementos de ordem político e econômico serão aqui tratados mediante a
apresentação de um conjunto de questionamentos sobre o tema.

Iniciemos com o entendimento de como se distribui em grupos de paises, a produção dos compostos banidos e de seus substitutos e sua projeção de produção até 2015(ver quadro 03).

Embora o quadro 03 mostre a produção apenas de agentes espumantes, as demais
finalidades de uso dos compostos, acompanham proporção semelhante e mostram a disparidade gritante entre os dois grupos de paises, obviamente por esta simples mostra, poderíamos refletir sobre o ônus diferencial a ser arcado no sentido da mitigação do problema, se é que ele existe e no processo de substituição tecnológica forçado pela proibição dos CFCs pelo protocolo de Montreal.

A substituição dos antigos agentes refrigerantes tóxicos e inflamáveis pelos CFCs
data dos anos 1929, após um rápido crescimento no seu uso, por não ser inflamável, corrosivo ou tóxico, em 1991 os CFCs foram definitivamente acusados de vilões do ozônio.
Seus substitutos como HFC e PFC, chegam a ser 15 vezes mais caros e menos
eficientes, como afirma Tazieff.

As patentes dos substitutos estão ligadas a
DUPONT, onde um de seus principais acionistas Edgar Bronfman, realizou
significativas doações a ONGs nos EUA.

Ainda como enlace entre corporações e
ONGs, Peter Melchett (herdeiro da Imperial Chemical Industries) é diretor do
Greenpeace na Inglaterra.
A partir dos elementos colocados, podemos refletir em várias linhas, todas altamente imbricadas:


Qual foi o custo da proibição do uso dos CFCs e como ele foi compartilhado pelas
várias nações signatárias?


Quais as empresas que detém as patentes dos substitutos aos CFCs?
Qual é a vida útil destes compostos na atmosfera?
Por que foi recentemente comemorado o fim do problema se a vida útil das
moléculas de CFC são relativamente altas.


O próprio Sherwood Rowland (Nóbel de Química 1995), afirma categoricamente
sobre a implementação do protocolo de Montreal afirmou que se cumprido na integra.

Nenhum comentário: