quinta-feira, 7 de junho de 2007

Refrigeração Residencial



Esquema do Refrigerador


Os refrigeradores domésticos guardam os alimentos a uma temperatura que vai de 3oC a 5oC (graus celsius).

Nestas temperaturas, as atividades dos microorganismos responsáveis pela deteriorização dos alimentos não cessam, mas se tornam mais lentas. Os alimentos podem permanecer comestíveis por alguns dias.
No interior dos congeladores, as temperaturas ficam por volta de -18oC. Nestas temperaturas praticamente cessam aquelas atividades de deterioração.
Os alimentos podem permanecer comestíveis por algumas semanas.

Um refrigerador doméstico é uma máquina composta basicamente de um fluido refrigerante que é forçado a percorrer um circuito tubular contendo, em regiões distintas, um compressor, um condensador, um tubo capilar (ou uma válvula de expansão) e um evaporador.
O fluido refrigerante deve possuir características especiais como, por exemplo, baixa temperatura de vaporização (ou de condensação) com um valor grande para o calor latente correspondente e, ainda, deve requerer pressões relativamente baixas para passar do estado gasoso ao estado líquido, mesmo à temperatura ambiente.
O compressor é uma bomba de sucção acionada por um motor elétrico, que retira fluido refrigerante do ramo da tubulação que o antecede, baixando sua pressão, e injeta esse fluido refrigerante no ramo da tubulação que o sucede, aumentando sua pressão. Assim, o compressor impulsiona o fluido refrigerante através do circuito tubular.
O condensador é constituído por um longo tubo em forma de serpentina com um conjunto de varetas metálicas, formando uma grade radiadora, e está colocado por fora e por trás do refrigerador.
Ao entrar e sair do compressor, o fluido refrigerante se apresenta no estado gasoso e no condensador, tanto pelo efeito do aumento de pressão causado pelo compressor quanto pelo efeito da perda de energia na forma de calor para o meio ambiente, o fluido refrigerante passa ao estado líquido.
O tubo capilar é um tubo com um diâmetro interno de cerca de meio milímetro. O fluido refrigerante, que entra no tubo capilar no estado líquido, expande-se rapidamente ao sair, passando ao estado gasoso. Esta expansão se dá no evaporador.
O evaporador é constituído por um tubo em forma de serpentina acoplado ao congelador. Para passar ao estado gasoso, o fluido refrigerante absorve energia na forma de calor do congelador e de tudo o que estiver ali dentro. Ao abandonar o evaporador, o fluido refrigerante chega ao compressor e o ciclo recomeça.
O congelador é colocado na parte superior do refrigerador para que se formem correntes de convecção internas, possibilitando a mistura do ar a baixa temperatura do congelador e de sua vizinhança com o ar a temperatura mais alta das outras partes. Essas correntes de convecção se formam da seguinte maneira.
A pressão do ar no interior do refrigerador é uniforme e, por isso, o ar do congelador e de sua vizinhança, estando a temperatura mais baixa, é mais denso que o ar das outras partes. Sendo mais denso, esse ar desce, empurrando o ar das outras partes para cima. As prateleiras do refrigerador têm forma de grade para não impedir ou dificultar o movimento de convecção.
No interior do refrigerador existe um botão de regulagem que permite selecionar a temperatura interna de operação do sistema.
Um termostato interrompe o circuito elétrico de alimentação do motor elétrico que faz funcionar o compressor quando essa temperatura é atingida.
Com o refrigerador assim desligado, a temperatura do seu interior passa a aumentar por efeito da absorção de energia na forma de calor do ambiente.
A partir de uma certa temperatura, o termostato reconecta o circuito elétrico de alimentação do motor elétrico que faz funcionar o compressor e um novo ciclo de refrigeração tem início.
Desta forma, o termostato permite manter uma temperatura mais ou menos constante no interior do refrigerador.



Saiba mais acesse: http://www.ufsm.br/gef/Refri.htm

Nenhum comentário: