sexta-feira, 18 de maio de 2007

História da Refrigeração

Criogenia:

Em meados do século XIX o homem descobriu a propriedade criogênica de gases:

a capacidade de retirar calor de um sistema quando submetido à expansão. E começou a fazer gelo, industrialmente, em grande escala.

A partir dessa época, então, tem início a atividade comercial de conservação de alimentos em grande escala.

Não havia, sequer, os grandes entrepostos frigoríficos, mas sim as fábricas de gelo.

Nos setores comercial e residencial este gelo industrial era usado para fazer essa conservação dos alimentos em pequena escala.

Os gases refrigerantes usados neste início da história da refrigeração eram a amônia, o dióxido de enxofre e o cloreto de metil.

A refrigeração era, assim, um processo perigoso:

explosivo, inflamável e tóxico!

Além do que, necessitavam de pressão elevada para atingir capacidade criogênica necessária à fabricação econômica de gelo.

Os compressores frigoríficos de então, dada a limitação tecnológica da época, eram tidos como máquinas perigosas, sujeitas a explosão.

Somente em 1932 o cientista Thomas Midgely Jr inventou o Refrigerante 12, mais conhecido como Freon 12. O Freon 12 é um cloro-flúor-carbono (CFC) que tem a característica de ser endotérmico quando expande ou quando vaporiza. O Freon não é inflamável, não é explosivo, não é tóxico e não corroi metais. A pressão necessária para que suas propriedades criogênicas ocorram com transferência apreciável de calor para ser aplicada praticamente, era bem inferior à requerida pelos gases refrigerantes conhecidos até então. Enfim, um “gás ideal”, “maravilhoso”. Isto é, até descobrirem que o Freon destrói o ozônio da atmosfera, tão importante para barrar o excesso de radiação solar ultra-violeta na superfície da Terra:

O3 + UV = O2 + O

O excesso de radiação UV deteriora a visão dos seres, altera a fotossíntese de vários cultivares, como a soja, o feijão, de hortaliças, como o repolho, além de intensificar o desenvolvimento de câncer de pele nos seres humanos.

E o Freon, nessas alturas, já era usado para outros fins:

Freon 11 (CFC-11) >> produção de espumas de poliestireno

Freon 12 (CFC-12) >> ciclos de refrigeração

Freon 13 (CFC-13) >> limpeza de circuito eletrônico

Solução:

Usar outros gases refrigerantes, o hidro-cloro-fluor-carbono – HCFC – e o isobutano, por exemplo.

Banimento dos CFCs:

Regulação a nível mundial >>Protocolo de Montreal!!

Fonte:

Controle Térmico de Ambientes

(Fernando França, DE – FEM Unicamp, ffranca@fem.unicamp.br)

Nenhum comentário: